Big Data: entenda sua importância no processo de tomada de decisão

7 minutos para ler

A tomada de decisão dentro das empresas sempre foi um processo delicado e cheio de variáveis. No entanto, um conceito surgiu para facilitar e agilizar essa questão: o Big Data. Devido a sua eficácia, hoje ele já é uma realidade nos processos decisórios de empresas data driven.

É por causa desse conceito que as empresas conseguem captar e processar uma quantidade imensurável de informações, ganhando mais visão do mercado em que atuam e obtendo insights certeiros. Neste post, mostramos como o Big Data funciona e qual a sua importância para as organizações. Confira!

O que é Big Data?

De forma simples, podemos dizer que Big Data é o termo usado para se referir à tecnologia que nos permite captar, analisar e catalogar uma grande quantidade de informações em tempo real. Esses dados são gerados diariamente por diferentes fontes e podem ser classificados como estruturados ou não estruturados.

Os dados estruturados são aqueles com uma organização pré-definida — como o perfil de clientes ou contatos —, que na maior parte das vezes são armazenados em bancos de dados. Já os não estruturados são mais complexos e necessitam de intervenção humana para serem analisados, podendo ser mensagens de texto, operações financeiras, e-mails, arquivos de mídia, entre outros.

Assim, por meio do processamento dessa enorme quantidade de informações, é possível identificar padrões de comportamento, prever as possíveis tendências do mercado e trabalhar de forma estratégica a partir de tais análises.

Quais são os seus princípios?

Além do que já dissemos, é preciso entender ainda que essa tecnologia é guiada por alguns princípios que são chamados de os 3 V’s do Big Data. São eles:

Volume

Como o próprio nome já diz, esse princípio se refere à gigantesca quantidade de informações que uma ferramenta de Big Data precisa lidar constantemente. De acordo com ele, os sistemas devem ser capazes de trabalhar com um grande fluxo de dados mantendo o alto desempenho e garantindo o menor custo computacional possível.

Velocidade

Quanto mais rápido um dado é coletado e tratado, mais eficaz ele será para subsidiar as decisões de uma empresa. Por isso, esse princípio permite que padrões sejam identificados quase em tempo real, o que garante vantagem competitiva no mercado.

Variedade

Quanto mais dados uma empresa coleta, maiores são as chances dela obter informações relevantes para o seu segmento. Contudo, os dados são produzidos nos mais diversos tipos de formatos e, conforme dissemos, podem ser divididos em estruturados — como dados de sistemas ERPs — e não estruturados — como imagens da prateleira de um supermercado, por exemplo. Isso exige que a ferramenta de Big Data esteja capacitada para lidar com tamanha variedade.

Quais são as principais plataformas de Big Data?

Atualmente, existe no mercado uma ampla gama de plataformas que fornecem serviços de Big Data. Todas as plataformas oferecem um conjunto de serviços gerenciados em nuvem com segurança e elevado desempenho. Os seus serviços podem ser contratados nos modelos SaaS (Software as a Service), PaaS (Platform as a Service) e IaaS (Infrastructure as a Service).

Essas plataformas oferecem serviços prontos para se trabalhar com processamento de grande volume de dados, Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Data Warehouse e são capazes de habilitar a estratégia de dados de uma empresa. No entanto, falaremos brevemente apenas sobre as 3 principais plataformas e suas particularidades. São elas:

Google Cloud Platform

O Google Cloud disponibiliza para seus clientes soluções que eles vêm desenvolvendo há vários anos em seus próprios serviços, como Google Search, Youtube, Gmail, Google Photos, Google Drive etc. 

Abraçando a ideia de uma nuvem aberta, o Google Cloud acredita que seus clientes não podem estar vinculados a uma determinada nuvem e não podem ter obstáculos para alcançar seus objetivos. O código aberto é um ativador das nuvens abertas mantendo o cliente no controle dos investimentos em TI. As soluções são baseadas em serviços de código aberto, muitas vezes desenvolvidos pelo próprio time do Google e com a comunidade, como Kubernets, TensorFlow, entre outros.

Microsoft Azure

A Microsoft tem uma relação corporativa de maior proximidade com as empresas devido ao Windows e ao Office 365. A integração nativa com o Active Directory, por exemplo, facilita a adoção do uso.

Os serviços da Microsoft são popularmente mais conhecidos no mercado, como, por exemplo, o banco de dados SQL Server.

Eles têm um grande acervo de documentações com constante atualização.

Amazon AWS

A Amazon surgiu em 2006 como serviço para os clientes, antes da Azure e do Google Cloud Platform.

Por estar há mais tempo no mercado, conta com um maior número de serviços disponível para ser consumido, além de ter um maior volume de clientes e desenvolvedores.

Qual sua relação com o Business Intelligence?

Apesar de serem processos complementares, não é raro encontrar gestores que confundam os conceitos de Business Intelligence e Big Data. Por isso, é preciso salientar que existem algumas diferenças em suas aplicações.

Por exemplo, o BI é mais utilizado no mundo dos negócios, pois seu foco está em coletar e analisar dados estruturados já presentes nas organizações, como relatórios e tabelas. Dessa forma, ele permite encontrar os pontos de melhoria que podem ser trabalhados pela gestão.

Por outro lado, o Big Data, além de trabalhar com esse tipo de informação, também permite a coleta de uma quantidade enorme de dados não estruturados provenientes de redes sociais, sites, aplicativos, registros de call center, entre outros.

Como consequência, ele pode ser usado para explorar novos caminhos para a empresa, visto que suas análises ajudam a identificar as tendências de comportamento do mercado. Sendo assim, ambos os processos devem ser aplicados de forma complementar para garantir uma análise mais ampla, completa e eficiente.

Qual a importância do Big Data no processo de decisão?

A importância da aplicação do Big Data na estratégia de uma empresa é vista em diversos pontos. Afinal, para que o processo de tomada de decisão seja eficaz, ele precisa se basear em dados verdadeiros e em análises confiáveis. Devido a isso, o Big Data busca coletar dados que ajudem a encontrar soluções para os seguintes objetivos:

  • otimização de ofertas;
  • redução de tempo;
  • otimização das tomadas de decisão;
  • economia de recursos;
  • desenvolvimentos de novos produtos.

Além disso, a ferramenta ainda trabalha para permitir que as falhas e defeitos dos processos da empresa sejam identificados quase instantaneamente, permitindo que as soluções sejam colocadas em prática em tempo hábil.

Também é possível criar estratégias de venda focadas nos hábitos de consumo dos seus clientes ou detectar comportamentos prejudiciais que, a longo prazo, podem afetar a saúde financeira do seu negócio.

Como foi possível perceber, o Big Data é uma tecnologia essencial para garantir a competitividade de uma empresa e assegurar decisões mais precisas diante das mudanças do mercado. Trata-se de um processo seguro e eficaz, que potencializa as estratégias de uma companhia por ser capaz de detectar exatamente o que ela precisa colocar em prática.

Gostou do conteúdo e quer potencializar a análise de dados do seu negócio? Então, entre em contato conosco. Será um prazer ajudar!

Posts relacionados

Deixe um comentário