5 desafios da implementação da Indústria 4.0 e como superá-los

7 minutos para ler

A Indústria 4.0, ou Quarta Revolução Industrial, surgiu no início da década de 2010 por meio de uma estratégia de alta tecnologia do governo alemão e favorece a informatização dos processos de fabricação e manufatura de mercadorias. Essa necessidade surge em virtude da grande de demanda por produtos customizados (personalizados) e a evolução tecnológica.

Em resumo, trata-se da integração de softwares inteligentes, máquinas, equipamentos e diversas inovações que garantem a criação de redes capazes de gerenciar funcionalidades específicas de maneira autônoma. Dessa forma, a fábrica tem a capacidade de: operar automaticamente, detectar e fazer manutenções, prever falhas, tomar decisões imediatas e adaptar-se a imprevistos.

Entretanto, a Indústria 4.0 traz alguns desafios que devem ser superados para garantir uma implantação gradativa, segura e eficiente — sem prejudicar o fluxo operacional.

Continue lendo este post para saber como preparar sua empresa da melhor forma.

A Indústria 4.0 no Brasil

Uma pesquisa feita pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) mostra que o Brasil quase não dá importância aos pilares-chave da Indústria 4.0, como Big Data, Inteligência Artificial, Internet das Coisas e integração com sistemas de gestão.

O estudo também aponta que somente 5% das companhias brasileiras se sentem “muito preparadas” para lidar com as exigências da Quarta Revolução Industrial. Esse sentimento de negligência quase geral é devido à existência de muitos gargalos na infraestrutura industrial do país. Além disso, existem poucos profissionais habilitados para gerenciar as novas ferramentas industriais inteligentes.

Nesse sentido, a cultura da inovação precisa ser disseminada a todo custo. É importante fazer empresários e gestores pensarem no longo prazo com os investimentos em tecnologia nas organizações. Por exemplo, implementar um sistema de ponta para detectar falhas operacionais em uma linha de produção pode custar caro no início, mas com o ganho de produtividade e qualidade, ele pode ser facilmente pago.

Os desafios para implementar a Indústria 4.0

Por falar em necessidades e etapas de mudança, líderes e gestores precisam identificar os desafios da Indústria 4.0 para superá-los da melhor forma. A seguir, selecionamos as principais barreiras que precisam ser superadas.

1. Parque industrial defasado

Ao passo que o mundo se organiza para essa nova Revolução Industrial, como mencionado no tópico anterior, o nosso país parece não ter levado a sério os desafios que cercam essa mudança. Em uma época de grande evolução tecnológica, muitas companhias brasileiras ainda utilizam tecnologias ultrapassadas, prejudicando produções em larga escala.

Esse cenário tem diversos motivos. O principal é que o Brasil ainda tem uma economia fechada. Com o mercado regional ou doméstico garantido, algumas fábricas não sentem a necessidade de investir em ferramentas mais eficientes e precisas.

Esse conservadorismo é mais evidente em pequenas e médias empresas. Elas demoram anos para implementar uma tecnologia lançada hoje. As exceções atingem os segmentos mais dinâmicos, especialmente os que lidam com exportação, uma vez que se atualizam para atender os requisitos de consumo de outros países, lidar com as demandas (internas e externas) e cumprir prazos.

2. Alinhamento tecnológico

Como visto, as novas tecnologias são essenciais para a Indústria 4.0, mas ela também traz alguns obstáculos para as companhias. Parte dessa tarefa implica a identificação de departamentos nos quais os desafios são menores e, como consequência, evidenciam maior potencial de adaptação e crescimento. Logo, essa atualização precisa ser gradativa.

3. Infraestrutura da rede de comunicações

A infraestrutura de comunicações, o que inclui internet banda larga e redes móveis, também precisa se alinhar às novas tecnologias e ao fluxo de dados (e informações) que ocorre durante as atividades operacionais.

Para que tudo funcione da maneira adequada, é preciso contar com o auxílio das organizações que fornecem esse tipo de serviço e das iniciativas públicas. O objetivo é investir e abraçar mudanças nas telecomunicações para fazer mudanças internas na indústria a fim de garantir uma troca eficiente de informações.

4. Desenvolvimento de equipes

Será necessário ter colaboradores capacitados para dominar as tecnologias que fazem parte da Indústria 4.0. Isso inclui Big Data, Inteligência Artificial, robôs e sensores.

Por se tratarem de ferramentas novas, pode ser difícil encontrar profissionais com esse domínio. No entanto, basta investir no desenvolvimento de equipes, para contar com analistas, técnicos e operadores qualificados para administrar essas soluções.

5. Desenvolvimento de lideranças

Da mesma forma que os profissionais mencionados anteriormente, os líderes também devem se adaptar, pois a Indústria 4.0 muda a cultura organizacional radicalmente, quebrando paradigmas.

Portanto, a liderança precisa saber lidar com os novos perfis de funcionários a fim de coordenar as atividades com mais eficiência.

A transformação 4.0 nas indústrias

A implementação da Quarta Revolução Industrial não é somente investir em novas ferramentas, mas também promover a verdadeira transformação. Para isso, é importante considerar os pilares que dominam essa mudança e aplicar estratégias para colocá-los em prática. Eles consistem em:

  • análise de dados (Big Data);
  • computação em nuvem;
  • inteligência artificial;
  • internet das coisas;
  • integração de sistemas de gestão (ERP), abrangendo toda a cadeia de produção;
  • virtualização (simulação computacional);
  • realidade aumentada.

A importância da Indústria 4.0 e como ela influenciará no futuro

Negócios se tornarão mais competentes com essas tecnologias, especialmente no quesito de obter vantagens exclusivas. Um exemplo prático dessa realidade está na implementação de novos segmentos de negócio, o que, na Quarta Revolução Industrial, pode ser providenciado com maior rapidez.

Vamos pensar na utilização de sensores e de conectividade para gerenciar a produção. Ao detectar falhas, é possível resolvê-las de prontidão, gerando qualidade tanto para as mercadorias quanto para os operadores. Sem contar a possibilidade de criar diferenciais exclusivos que aprimoram produtos e os tornam ainda mais valorizados.

Toda a atividade estará focada no atendimento às necessidades e antecipação de demandas. No entanto, imagine um processo produtivo que não exija a fabricação de lotes gigantescos. É justamente isso que a Indústria 4.0 proporciona. Os itens feitos com exclusividade para um único cliente, ou um grupo pequeno de pessoas, podem custar pouco (quando comparados com mercadorias convencionais).

Isso permite que o vínculo entre marca e clientela se aprimore de forma gradual e com que a oferta de produtos diferenciados seja potencialmente infinita.

Por fim, outro elemento importante é o desenvolvimento continuado e sustentável que essa transformação tecnológica tem a oferecer. Isso porque as ferramentas de automação avaliarão recursos naturais antes de definir alternativas ambientalmente corretas e lucrativas.

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você identificar os maiores desafios da Indústria 4.0 e como superá-los da melhor forma para se adaptar às mudanças do mercado. O futuro está logo ali e a melhor maneira de garantir competitividade e sobrevivência é abraçar as atualizações tecnológicas que estão surgindo.

Se você ainda tem dúvidas a respeito da Indústria 4.0 ou deseja complementar algo a respeito deste artigo, utilize o campo de comentários abaixo.

Posts relacionados

Deixe um comentário