6 práticas de visualização de dados que você precisa conhecer

6 minutos para ler

Uma cultura orientada a dados tem se tornado uma grande tendência nas organizações. Afinal, as informações são um dos ativos mais importantes dos negócios e, portanto, devem ser trabalhados de forma a oferecer os substratos necessários para maior efetividade da empresa.

Porém, para que funcione, algumas práticas relacionadas com Data Analytics e inteligência organizacional precisam ser observadas, a fim de garantir melhores resultados e trazer maior consistência na adoção desses conceitos. A visualização de dados, portanto, tem um papel fundamental nesse processo.

Vamos mostrar 6 práticas de visualização que você precisa estar atento e implementá-las em sua empresa.

O que é a visualização de dados

A visualização de dados, ou data visualization, é, literalmente a forma como é possível visualizar as informações de forma simples e direta. Isso inclui, por exemplo, gráficos, dashboards, painéis, entre outras formas de visualização.

Engloba conceitos importantes, como o Visual Literacy, que diz respeito à capacidade de expor e interpretar dados de uma forma visual, de acordo com as necessidades e demandas para cada momento, de forma a tornar a mensagem mais clara para o público.

Isso é fundamental, principalmente porque as imagens têm um valor didático e de compreensão altamente mais vantajoso do que o conteúdo textual. Ou seja, em vez de realizar extensos relatórios, o uso de imagens pode ter resultados muito mais significativos.

Desafios e tendências da visualização de dados

Quando falamos em visualização de dados, estamos abordando questões altamente estratégicas para as organizações. Afinal, os dados possibilitam tomadas de decisões mais bem embasadas, observações oportunistas sobre o mercado e clientes e permite articulações que podem alavancar lucros ou causar prejuízos.

Portanto, é fundamental compreender quais são os principais desafios e tendências e identificar como tornar a ciência da análise de dados ainda mais eficiente.

  • o mercado de visualização de dados, diante da sua importância, está recebendo cada vez investimentos maiores. Afinal, em uma cultura Data Driven, é fundamental que as informações estejam claras, acessíveis e, portanto, é natural que essa seja uma área que cresça cada vez mais;
  • há o desafio de tornar essas questões claras e úteis para os gestores, a fim de que seja possível tomar decisões claras por meio das leituras dos gráficos com as visualizações adequadas;
  • há a necessidade de encontrar as ferramentas corretas para atender às diferentes demandas e necessidades de empresas e setores. Portanto, saber identificar quais são as soluções que respondem melhor às necessidades é fundamental e isso pode ser um grande desafio, quando há um crescimento do mercado e, portanto, uma série de ferramentas surgindo para esse fim;
  • conseguir conciliar custo-benefício com eficácia da ferramenta;
  • ter uma boa gestão da qualidade dos dados exibidos;
  • conseguir uma maior integração de dados de fontes diferentes;
  • ter uma trajetória clara e consistente na apresentação e análise das informações, entre outros.

6 práticas de visualização de dados

Para auxiliar nesses pontos, é fundamental identificar quais são as principais práticas de visualização de dados. Vejamos a seguir.

1. Definição de objetivos

O que os gestores precisam com os dados que serão exibidos? De que forma aquilo está relacionado com as práticas internas e como é possível tornar essa ponte facilitada por meio da visualização de dados? Isso é fundamental para definir aquilo que deve estar presente na apresentação e o que, por ser secundário ou não relevante, não precisa estar presente.

2. Gerenciamento da qualidade dos dados

Nem todos os dados são utilizáveis ou aproveitáveis, de forma que possam trazer, de fato resultados significativos e que possam acrescentar, de fato, para a tomada de decisões e conhecimento sobre a empresa para os gestores.

Para isso, é preciso garantir o maior grau de confiabilidade possível, saber encontrar as fontes corretas de dados. Afinal, as falhas nos processos de negócios gerados por resultados ambíguos ou errôneos devido à má qualidade dos dados utilizados para as análises.

3. Uso das ferramentas certas

Como falamos acima, as ferramentas certas são determinantes para o sucesso da visualização de dados. Contudo, escolhas inadequadas podem gerar análises inconsistentes e não permitir personalizações importantes, que adéquem os dados para a realidade da organização.

Além da ferramenta correta, é fundamental escolher o método certo de visualização: é melhor optar por gráficos? Painéis? Qual modelo de gráfico: painel ou barra? Será que vale a pena investir em infográficos? Eles devem ser interativos ou não?

4. Atenção ao design

O design precisa ser limpo, objetivo e de fácil assimilação. Se há uma sobrecarga de informações na visualização, os observadores poderão se perder no meio de conteúdos desnecessários. Por isso, é fundamental pensar, nesses casos, na experiência do usuário (no caso, os gestores que terão acesso aos dados).

Sendo assim, seja breve, focando apenas naquilo que é realmente importante, deixando um design limpo, claro e direto para o seu público.

5. Integração de dados

Os dados, quando integrados, podem trazer uma série insights interessantes. Por exemplo, o conjunto de informações dos setores de marketing e vendas, quando observados em uma análise simultânea, podem oferecer informações consistentes para ambas as áreas. Algo que não teria o mesmo efeito caso fosse observado de forma separada.

6. Publicação do dashboard

O dashboard para a visualização de dados precisa ser atraente, intuitivo e permitir ações interativas. Para isso, é importante observar algumas questões, tais como:

  • identifique o objetivo do seu dashboard;
  • os dados essenciais devem aparecer à primeira vista, de forma destacada;
  • ele deve priorizar a simplicidade;
  • escolha os gráficos adequados de acordo com cada situação;
  • as informações devem se relacionar para contar uma história sobre os dados representados;
  • a ferramenta precisa ser responsiva, para que seja possível a visualização em dispositivos móveis.

Para conseguir superar as dificuldades existentes nos processos de visualização de dados, é fundamental contar com especialistas que identifiquem quais são as questões que estão em aberto na sua empresa. Para isso, pode ser importante contar com uma consultoria, que será responsável por analisar essas questões e oferecer soluções.

Além disso, os profissionais especializados auxiliarão a encontrar as ferramentas corretas, a adoção delas e, também, orientar a uma cultura Data Driven em seu negócio. Com isso, minimizam-se possíveis erros e falhas e torna o processo produtivo e eficiente na adoção de uma inteligência de negócios.

Gostou deste conteúdo? Quer mais dicas como essas? Curta nossa página no Facebook e receba nossos posts em seu feed.

Posts relacionados

Deixe um comentário